Opolympichacking

Opolympichacking

Listen to Page
Voiced by Amazon Polly

Assim como o OphackingCup, o Opolympichacking começou em 2014, Brasil. Esta operação em curso também tem como alvo as grandes empresas e organizações governamentais que são as únicas a lucrar com este ritual de elite. Estes eventos deixam sempre as cidades em que são realizadas completamente destruídas.

Saudações, cidadãos do mundo. Permita-nos apresentar-nos...

Somos anônimos.

Este é um chamado para todas as pessoas indignadas no Brasil e de todo o mundo.

O acontecimento da Copa do Mundo em 2014 foi usado como justificativa para todos os tipos de atrocidades, como o deslocamento forçado de milhares de famílias de suas casas, a ocupação militar de certas regiões em nossas cidades, a perseguição de críticos e opositores do evento. E uma política de segurança baseada no extermínio de jovens nos subúrbios.

O evento não foi planejado para beneficiar a população. Não foi dedicado aos fãs de esportes brasileiros, e também não foi um espetáculo para turistas que visitam o país. Os vencedores, não foram os alemães que levaram o troféu, mas os corruptos — os empreiteiros e a FIFA — que lucraram milhões na Copa Wold mais cara da história.

A dívida pública, oculta e reforçada pela corrupção generalizada no Brasil, é evidência que mostra como o Estado está decaído. Que apenas priorizam os direitos dos mais ricos, ignorando sistematicamente e desvalorizando sua obrigação de promover os direitos básicos da saúde, educação, habitação e serviços públicos.

A próxima de outro mega evento: os Jogos Olímpicos de Verão 2016 no Rio, reacende a ganância pela aquisição de dinheiro público através de parcerias com as mesmas grandes empresas responsáveis pelas reformas relacionadas à Copa do Mundo e, entretanto, é evidente como o resto da população está abandonado. Esta, é uma situação precária, na qual não vamos ficar de braços cruzados. O bullying e a negligência disso levaram a políticas públicas de urbanização implacável. A saúde e o saneamento básico também tiveram consequências, com milhares de casos de Dengue, Chikungunya e o vírus Zika.

A sociedade responde de muitas maneiras a tal horror. Inúmeros golpes dentro de vários servidores públicos, como saúde, polícia militar e bombeiros, irromperam no estado do Rio de Janeiro por causa desta farsa olímpica. Os Jogos Olímpicos, suas delegações, mídia e turistas de todo o mundo não podem ignorar essa realidade carioca que não é uma isenção, mas uma constante. O Estado tenta desesperadamente compensar, esconder e disfarçar a situação, e o déficit nos cofres públicos causado pelo evento, em combinação com um baixo cenário global de preços do petróleo, teria finalmente conduzido a guerra em erupção que temos agora nas ruas do Rio.

Mas não há nenhum truque, ou dinheiro, suficiente para silenciar as pessoas e fazer este caos invisível, ou minimamente comível, desaparecer. Observamos que as autoridades políticas organizam um enorme circo para o revezamento da tocha olímpica em algumas cidades do país; também vimos uma reação espontânea da população ao tentar extinguir a tocha olímpica, uma clara demonstração de revolta contra a realização deste mega evento, e todo o situação de roubo e violência pelo Estado por causa disso. Seguimos a classe política usando jornais dos meios de comunicação tradicionais para tentar atenuar o impacto dos seus crimes, sem sequer sermos intimidados pelas investigações em curso. Mas até agora, o povo do Rio, está ganhando.

Portanto, temos estado vigilantes e estamos aqui neste momento para dizer que não vamos esperar, é hora de intensificar as acções. Vamos reagir dentro e fora da rede. Exortamos todos os cidadãos brasileiros. e também do exterior que vêm ao Brasil durante o período dos Jogos Olímpicos, a se juntarem a nós. É hora de as pessoas tomarem o controle de suas ruas. Vamos agir também através da internet, expondo escândalos e knaveries de personalidades proeminentes da nossa política para que o mundo possa ver o que fomos forçados a suportar. Não importa quanto tempo leve. Não importa quantos de nós sejam derrubados por seu aparelho repressivo. Não temos medo, e nem você deveria. Vamos incendiar as fortalezas deles. Sabemos o que está acontecendo perfeitamente, as nefastas forças políticas deste país ensaiam mais uma tentativa desesperada de manter qualquer confiança internacional que ainda possa existir através da realização dos Jogos Olímpicos no Brasil. Sabemos que este evento não atenderá às necessidades reais da população abjeta, dos pobres e dos sujeitos à violência diária contra o Estado.

Não podemos continuar ignorando todos os acordos de acesso obscuros aos recursos sociais e naturais dentro dos limites do Brasil. As Olimpíadas e a Copa do Mundo são parte integrante desta conspiração. Não somos cegos, tolos. Sabemos que o extermínio dos pobres, negros e indígenas no Brasil é fornecido para os programas econômicos mundiais de ajuda, mas eles não se encaixam na agenda, e são descartados. Um projeto onde não há espaço para todos, quando na realidade deveria ser.

Por isso, a todos os governadores brasileiros: Saibam que o mundo logo saberá da vossa cobiça pelos recursos naturais do Brasil. Independentemente da parte em que você está, saiba que aqueles abaixo estão em risco para seus planos pessoais de enriquecimento ilícito. Portanto, prestem muita atenção governadores, congressistas e senadores, que permanecem dentro de escândalos de corrupção: o início ao seu fim, começou.

Nós somos Anônimos.

Somos uma legião.

Nós não perdoamos.

Não nos esquecemos.

Espera-nos.

Olá Rio de Janeiro.

Sabemos que muitos têm percebido o quão prejudicial era (e ainda é) os Jogos Olímpicos na cidade.

A mídia vende a ilusão de que toda a cidade celebra e comemora a recepção de turistas de todo o mundo, muitos deles atraídos pela rede de prostituição e drogas a um preço de pechincha. Esta falsa felicidade esconde o sangue derramado nos subúrbios da cidade, principalmente nas favelas graças a inúmeros ataques policiais e militares sob o pretexto de uma guerra falsa.

A pobreza está se espalhando por toda a cidade, forçando famílias inteiras a deixar suas casas e bairros tradicionais devido aos altos preços de aluguel e/ou remoções feitas por uma prefeitura corrupta e serve apenas os desejos da construção civil. Já manifestamos em outras comunicações nossa repudiação à realização de megaeventos no meio das desigualdades sociais gritantes neste país.

Ainda assim, mesmo depois de tantas palavras, tantos manifestos ou protestos nas ruas (todos sempre totalmente supervisionados pela repressão, se não reprimidos com violência brutal) parece que o governo continuará ignorando as vozes de seu próprio povo.

Portanto, continuaremos com nossas operações para desmascarar as inúmeras ações arbitrárias daqueles que são Estado e, portanto, seus próprios inimigos da população.

Nós somos Anônimos.

Add a comment

*Please complete all fields correctly

Related Blogs

No Image
No Image
No Image